Buscar
  • Francisco Araujo

E agora? Meu filho adulto não quer crescer.

Neste artigo iremos ajudá-lo a entender e contornar este problema que continua a crescer em muitos países.


Certa vez uma mãe perguntou a Michele Langmead*, uma conselheira familiar, como poderia motivar seu filho de 23 anos que demorava a terminar os estudos. Segundo a mãe, ele era mal-humorado e pouco comunicativo, não trabalhava, não ajudava em casa, dormia o dia todo e ficava no computador ou fora de casa a maior parte da noite.

Então Michele sugeriu à mãe: “ Se você quiser motivá-lo, dê a ele um mês para encontrar outro lugar para viver. ”

Bem, esta mãe sabia de alguma forma que era a coisa certa a ser feita, mas ela simplesmente não conseguiria fazer isso.

Entendendo o problema

Em muitos casos, os jovens não aprenderam a cuidar de si mesmos. Talvez tenham sido tratados como crianças por muito tempo.


Por outro lado, muitos pais ainda não compreendem que, para que seus filhos se tornem adultos maduros, precisam deixá-los abraçar a vida, tomar decisões e enfrentar as consequências dessas decisões.


Na verdade, quando os pais tratam seus filhos adultos como crianças, de fato estão dizendo: “Eu não acredito que você possa cuidar de si mesmo, então eu farei isso por você”.


A mensagem é: “não confiamos em você para administrar sua própria vida”.

O que fazer agora?


Felizmente, muitos pais percebem que chegou a hora de soltar o filho. Neste ponto, é importante que ambos concordem que é hora de adotar o “amor exigente” para dar ao filho melhor chance de viver.

Michele, sugere que os pais digam aos filhos adultos:

  • O quanto os amam, que acreditam neles e sabem que são capazes de lidar com a vida com todos os riscos, fracassos e sucessos;

  • Que vocês estão fazendo algumas mudanças;

  • Que não haverá mais sugestões e conselhos;

  • Que vocês confiam na capacidade deles de resolver os problemas.


Michele conta que certa vez uma mãe perguntou: “E se algo terrível acontecer?”

Ela respondeu: “Sim, coisas ruins podem acontecer, ou talvez não. Não há garantias. Não há como evitar os obstáculos. É preciso confiar sempre. “


Aqui estão algumas dicas para lidar com seu filho que não quer falar com você.


  • Aspectos psicológicos que podem estar presentes neste momento de crise:

  • Desde que não houve qualquer agressão feita diretamente a ele pela família, a questão está com ele.

  • O filho homem tende a se retrair e resolver as coisas sozinho. Ele é mais reservado sobre seus sentimentos / emoções. Ele se ressente da interferência da família.

  • Às vezes o filho diante de seus problemas pessoais se torna introspectivo, sem pensar muito nos sentimentos de seus entes queridos. Pode até ocorrer que ele não queira envolver os outros, como forma de proteger a família.

  • O importante é saber que a maneira como seu filho vê o próprio problema é provavelmente diferente da maneira como você o percebe.

  • Diante da decisão de seu filho se afastar, não há nada que você possa fazer, a não ser respeitar a decisão dele de se distanciar.

  • Ações positivas

  • Respeite a escolha dele. Você não causou nada disso.

  • Seja paciente. Você nem sempre saberá a história completa, e pode haver razões pelas quais ele está encontrando dificuldades para pedir ajuda.

  • Ofereça apoio emocional e tranquilidade. Deixe-o saber que você se importa com ele e poderá ajudar se mudar de ideia.

  • Ação que deve ser evitada

  • Pressioná-lo a falar, pode fazê-lo sentir-se menos à vontade para contar suas experiências.

Forçar alguém a obter ajuda (especialmente se tiver mais de 18 anos e não for uma situação de emergência). Lembre-se, quando adultos, todos somos responsáveis por tomar nossas próprias decisões. Isso inclui se buscaremos ou não, ajuda quando nos sentimos mal.


Ações de autocuidado

  • Continue cuidando de si mesmo. Você é uma boa mãe que merece ser feliz.

  • Você estando bem poderá ajudar aqueles que aceitam com amor sua ajuda.

  • Se você está se sentindo sobrecarregado com esta situação, reserve mais tempo para você recuperar suas energias.

  • Procure ajuda profissional, caso sinta-se pressionada. Obter apoio pode ajudá-lo a ser mais realistas sobre o que fazer.

E por último: Seja qual for o problema, não é sua culpa.



Para saber mais:

LANGMEAD, Micheli, What to do when your adult child won’t grow up, 2010, disponível em:rhttps://www.focusonthefamily.ca/content/what-to-do-when-your-adult-child-wont-grow-up, acesso em 24/03/2019 Adult son stopped talking to me, 2016, disponível em: https://www.beyondblue.org.au/get-support/online-forums/relationship-and-family-issues/adult-son-stopped-talking-to-me, acesso em: 23/03/2019

Seeking help for a mental health problem, 2017, disponível em: https://www.mind.org.uk/information-support/guides-to-support-and-services/seeking-help-for-a-mental-health-problem/helping-someone-else-seek-help/#.XJZ1eJhKjIU, acesso em: 24/03/2019

* Michele Langmead é Conselheira Familiar da Instituição Focus on the Family no Canadá


0 visualização

Estou aqui para te ajudar a resolver seus problemas

Funcionamento
Segunda a Sexta das 8:00 - 17:30 Sábados 8:00 - 11:00
Entre em Contato
Tel/Whatssap - 9 5959-6872

© 2019 por rondinelli.digital 

  • White Facebook Icon
  • White Twitter Icon
  • White LinkedIn Icon